Wednesday, March 01, 2006

Vinícius de Moraes ou a música das palavras.

Recordar Stan Getz é lembrar também a Bossa Nova. Com ele Tom Jobim e claro, Vinícius de Moraes, o grande poeta que se fez letrista de canções inesquecíveis como a "Garota de Ipanema" ou "Desafinado". Hoje recordamos um dos seus sonetos. Música em palavras, apetece dizer.


















Soneto da Separação

De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.

De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez-se o drama.

De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente.

Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.

Vinicius de Moraes

1 Comments:

Blogger apenas eu... said...

gostei das alterações... com relevância para a inclusão de poesia... Vinicius, um bom começo amigo....

5:15 PM  

Post a Comment

<< Home